5 Pilares para relações amorosas saudáveis

8 jun , 2020 Psicologia,Relacionamento Amoroso

“Amores Saudáveis”‘ é o tema desse ano para os nossos conteúdos aqui no site e no Instagram em alusão à semana do Dia dos Namorados. Nesse post vou compartilhar com você quais são as 5 bandeiras fundamentais para construir relacionamentos amorosos  saudáveis e para cada pilar  você encontrará um lema exclusivo aqui no site. Vem comigo!

PRIMEIRO PILAR

Meu lema é : Eu quero amar e mereço ser amada e é justamente por isso que em todos os dias da minha vida eu vou procurar me amar primeiro. O amor próprio não me tornará egoísta mas me ajudará a aceitar o amor que mereço pois quando me amo primeiro, reconheço que sou digna(o) de receber o amor de outra pessoa. Respeito mútuo será a base de todos os meus relacionamentos, não ficarei aonde eu não estiver sendo respeitada(o), não darei meu amor a quem não me respeita, não me relacionarei com quem não entender que amor e respeito são sinônimos. Eu preciso ser respeitada por quem escolher me amar. Eu escolho amar e ficar apenas com quem me respeitar.

SEGUNDO PILAR

Meu lema é: Enquanto eu não me achar bonita, nenhum like será suficiente para me dizer isso. Enquanto eu não me sentir inteligente, nenhum elogio me convencerá das minhas capacidades. Enquanto eu não me reconhecer como sendo suficiente, nenhum relacionamento me preencherá. Enquanto eu não souber o meu valor, nenhuma etiqueta de presente comprará a minha segurança. Enquanto eu não for feliz, nenhum relacionamento me trará isso. O amor da minha vida só conseguirá me dar aquilo que eu já reconhecer em mim. O meu par só poderá aumentar o que eu já tenho. Eu só consigo receber aquilo que acredito ser verdade então antes de deixar alguém me dizer quem sou ou que mereço, eu já saberei quem sou e o que mereço e farei por mim tudo que preciso.

TERCEIRO PILAR

Meu lema é: A minha mudança não está condicionada a mudança do meu parceiro(a). Eu não posso esperar alguém melhorar para que eu melhore, minha vida é importante demais para ficar na mão de alguém que só me desgasta em todas as minhas tentativas de expor minhas necessidades. Tentar mudar alguém só me frustra e se meu par me decepciona, eu irei ajustar as minhas expectativas e tentar mudar apenas o que posso. Eu não deixarei o comportamento do meu par determinar como eu me comportarei.  Eu não posso mudar as coisas que não gosto em alguém mas posso escolher como agirei perante elas. Se por cumplicidade e parceria meu par mudar, eu saberei que estou com a pessoa certa pois estarei sendo respeitada(o). Só posso mudar a mim e não irei contar com a mudança do outro para ser feliz. Eu mudo e então tudo muda.

QUARTO PILAR

Meu lema é: Num relacionamento saudável todas as partes que o compõe são igualmente importantes. Não irei construir relações  hierárquicas: a minha felicidade é tão importante quanto a do meu par. A desigualdade emocional é autodestrutiva. Eu não posso estar triste para o outro estar feliz. Eu não irei ceder para que o outro permaneça imóvel. Tudo que eu fizer por alguém, devo receber na mesma medida. Quando choro, a pessoa que enxuga minhas lágrimas não pode ser aquela que só me fere. Quando dou colo, sei que aquela pessoa também é o meu porto seguro. Se priorizo o sorriso de alguém é por saber que aquela me pessoa me faz sorrir na mesma medida. A felicidade do meu par não é mais importante que a minha. O meu par será um dos componentes da minha felicidade assim como sou para ele. 

QUINTO PILAR

Meu lema é: Não construirei uma relação com medo de ser quem sou. Não estabelecerei uma comunicação baseada em mentiras para agradar, fingir, manter, aguentar e não ficar só. Construirei um relacionamento onde eu possa dizer ‘não’. Não quero. Não posso. Não vou. Não tenho. Não gosto. Não consigo. Viverei numa parceria onde ao dizer ‘não’ serei aceita(o), compreendida(o), respeitada(o), ajudada(o) e acolhida(o). O ‘não’ que direi não poderá colocar o relacionamento em risco, pois em todos os outros momentos eu estou dizendo sim: eu quero, eu posso, eu vou, eu tenho, eu gosto e eu consigo. E é exatamente por todas às vezes em que digo sim naturalmente, que me autorizo a dizer não com mesma naturalidade. Adultos não podem ser tratados como ‘crianças mimadas’. Adultos ouvem ‘não’, dizem ‘não’ e continuam juntos por um dia terem dito sim um ao outro. A pessoa que estiver comigo o fará por escolha e não por obrigação. Eu posso dizer ‘não’ e continuar sendo amada(o). Meu não ensina o meu par como me tratar; meu não mostra ao meu par quem eu também sou.

***

Com carinho,

e desejando sempre que as suas relações sejam saudáveis,


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *