Tô carente! E como está a autoestima?

12 jun , 2020 Psicologia

Vamos falar sobre carência? Aquela coisa que faz com que nos comportemos de maneiras dignas de arrependimento, sabe? Falar em carência afetiva, romântica e sexual também é falar em autoconhecimento! Vamos?

Se a carência é a mãe da roubada, o tédio é o pai!” Você já ouviu essa frase? Carência afetiva é essa sensação de falta, de querer algo de ordem romântica ou sexual e não ter. E às vezes é  por causa dessa falta que a gente faz tanta coisa pra se arrepender, não é? É mensagem pra ex, é birra com o crush, é chance pra embuste, é indireta pro namorado, é rispidez com o cônjuge, é biscoitagem nos stories e por aí vai!⁣
A carência se parece bem com esse monstrinho da imagem, você reparou? Ocupa bastante espaço, parece ameaçador por fora mas por dentro é só uma criança mimada com o coração na mão.⁣
Uma das grandes questões da carência é que em nome dela, a gente faz coisas de maneira indireta. A gente escolhe o caminho mais longo para conseguir o afago, o elogio, o beijo ou qualquer coisa que tape o buraco da insuficiência que estamos sentindo. E muitas vezes não assumimos os nossos verdadeiros sentimentos e procuramos cuidar da superfície. “Deixa eu procurar uma foto bem top. Se eu conseguir tantas curtidas vou me sentir melhor.”
É nesse ponto e que chegamos na questão da autoestima. Pensa comigo: o beijo, a curtida ou os comentários conseguem te deixar imune a essa sensação abissal de carência? Resolve de maneira definitiva? Quem nunca comprou algo achando que a nova aquisição traria um up na autoestima mas o resultado final foi mais frustração ainda? “Eu já tava me sentindo mal, agora tô pra baixo e com dinheiro a menos!”
A autoestima saudável está relacionada ao sentimento de amor que nutrimos por nós. Quando você se trata de maneira amorosa consegue entender que a vida acontece um passo por vez, não há imediatismo nem resposta instantânea. Mas um ego carente logo vibra quando a foto postada ganha curtida bem na hora que posta, né? Ou então aquela vergonha que dá ao olharmos o story  de alguém segundos depois dela ter postado… Conhece esse sentimento?
É natural que a gente tenha necessidades de elogios e desejo de ser aceita por exemplo mas uma pessoa com autoestima saudável tem a capacidade de se autoconsolar sem precisar de medidas drásticas para isso. Na baixa estima só queremos estar bem e não temos repertório para os nosso momentos de humanidade e aí começam as comparações, críticas e expectativas…
É nesse momento que fantasiamos como a vida deveria ser, como você deveria estar se sentindo e fica tudo muito bem imaginado mas pouco verbalizado, pouco concreto e se você está num relacionamento é inevitável não se frustrar pois quem está com você não tem como saber o que se passa dentro da sua cabeça e aí você se frustra pois não recebe o que desejava.
Lembra do caminho mais longo que a carência te faz trilhar? É isso. Suspirar profundamente, postar indireta, chamar a atenção e etc são comportamentos indiretos para ver se a pessoa se toca que você quer atenção e olhe para você. Você fica ansiosa e se frustra por não receber o que queria.
Mas… qual a vantagem desse comportamento? Vou te contar: o grande benefício é conseguir colocar no outro a responsabilidade de fazer algo por você. Faz sentido? E qual é a saída agora? Transformar as suas expectativas, os seus desejos e as suas necessidades em pedidos, solicitações! Sabe o porquê? Por que não há nada que você possa fazer para garantir que o outro vai te dar tudo o que você quer e te suprir sempre.
Não se ama por obrigação. As pessoas estão num relacionamento por escolha, por liberdade. O amor não é uma moeda de troca .Viver querendo fazer alguém gostar de você, te reafirmar e te sustentar todo tempo vai fazer com que você viva em função disso, você viver em função do que fazer para o outro de admirar. No final das contas e no começo de tudo, é sempre você por você. Não se iluda depositando isso em algo ou alguém.
Fortaleça a sua autoestima por você. Dessa maneira você está muito bem acompanhada. Solteira, com contatinho, namorando, separada… Você vai se amar. E assim a sua autoestima não estará na mão de nada e nem de ninguém.
Aprenda a curtir a sua própria companhia e aprender a cuidar de você. Se dê um presente, faça o que gosta, se alimente de tudo que acha interessante, interaja com pessoas queridas e… esteja disposta a conhecer alguém: não tem nenhum problema em querer companhia.
Mas antes, seja a sua melhor companhia. A autoestima combate os níveis altos de carência!
Com carinho,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *