7 Dicas para lidar com alguém que pensa ou tentou suicídio

8 set , 2019 Setembro Amarelo

Se no Brasil os dados sobre os casos de suicídio apontam que a cada 45 minutos uma pessoa tira a própria vida, quantas pessoas mais são atingidas diretamente por esse brasileiro que foi vítima de suicídio? Esse post tem a intenção de ajudar as pessoas que possam conhecer alguém que tentou suicídio ou que desconfiam que alguém ao seu redor está pensando em tirar a própria vida. Se você não sabe o que fazer e deseja ajuda, esse post é para você!

Uma pessoa a cada 45 minutos tira a própria vida aqui no Brasil. Quantas pessoas conheciam, quantas pessoas ficarão sabendo, quantas pessoas convivem, quantas pessoas falam e se relacionam com cada um desses sujeitos que veem no suicídio uma alternativa, mesmo que não seja? Se cada uma dessas pessoas soubesse que pode fazer algo, a estatística seria diferente.

Existem diversos modos de auxiliar alguém que tem  apresentado os comportamentos suicidas ou que tem dado sinais como: dizer “quero sumir”, “melhor estar morta/o”; mudanças repentinas no jeito de ser – deixando de ser quem sempre foi, como abandonar um esporte que pratica a anos por exemplo; ou então um melhora abrupta de uma pessoa que estava deprimida há bastante tempo; abuso de álcool e outras drogas também é um sinal no caso de quem já consome ou até mesmo o uso de álcool e drogas no caso de quem não usava. Esses são alguns exemplos mas… o que fazer? A seguir você encontra algumas dicas baseadas num texto de José Orlando Rodrigues que adaptei para o nosso blog. Vamos lá!

#1 Ouça

Ser um bom ouvinte é essencial. Apenas ouça. Não julgue, não dê soluções e nem diga que “Vai passar!”, “Você tem tanta coisa para viver…”,”Olha tudo que você tem e conquistou!”.  A pessoa está sofrendo. Sofrendo tanto que pensa em tirar a própria vida para acabar com essa dor. A dor é urgente e presente, não está no passado nem no futuro.  Reconheça o sofrimento da pessoa, valorize o que ela diz e se mostre disponível para ajudá-la. É fundamental que ela perceba que a dor que sente é compreensível e aceitável em face das suas vivências presentes. Vou dizer outra vez: terminantemente proibido dizer coisas como “mas você é tão bonita/a, inteligente ou qualquer outro adjetivo”! Não ajuda em nada, só faz a pessoa se sentir mais culpada ainda por ser bonita, inteligente, bem sucedida e não estar aguentando viver a sua própria vida.

#2 Empatia

Procure compreender as coisas do ponto de vista da pessoa e não do seu. Não importa se você acha que ela tem tudo, que é bonita ou inteligente. Essa é sua opinião. Quem está sofrendo tem um outro ponto de vista, acolha a dor do outro ao invés de dizer a pessoa que não deveria sentir angústia ou tristeza. Ela já está sentindo. Não a compare com outras pessoas dizendo coisas do tipo “Poxa, fulano tá pior que você e não fez isso. Ela nem emprego tem! Você está aí, com tudo e fica com essa ideia”. Não, não e nã0. A pessoa não está reclamando de barriga cheia, não está fazendo drama e nem querendo chamar a atenção.

#3 Vá direto ao ponto

E se a pessoa que te preocupa não puxar o assunto, fale você abertamente sobre o suicídio. Sim, com todas as letras! Tome essa iniciativa e diga que percebeu uma mudança no comportamento dela, se for o caso, e cite o que percebeu. Não tenha uma conversa vaga e nem mude de assunto. Pergunte abertamente se ela tem pensado no suicídio como uma alternativa. Deixe-a falar.  Você pode até dizer “Nossa.. são muitos problemas que você tem passado… Só você sabe o tamanho do peso que carrega, não é? Você tem pensado no suicídio como alternativa? Parece que é muita coisa para você carregar só. Você pensa em se matar para fugir dessas coisas? Tá pensando em largar tudo?” Essas frases passam a mensagem de que existe alguém que compreende a dor emocional que o outro está vivendo ao mesmo tempo em que deixar a pessoa falar e ouvi-la mostra que a pessoa não está só.

#4 Demonstre que a pessoa é importante

É muito importante que a pessoa saiba que ela importante para você, que a vida dela tem valor para alguém e que a morte dela causaria sofrimento nas pessoas e alguém iria sentir falta dela. Fale dessas pessoas: pode ser família, amigos, gente do trabalho, animalzinho de estimação e etc. O suicídio pode ser uma pedido de ajuda mas que dá para evitar se a pessoa compreender previamente -antes de tentar tirar a própria vida- que é amada, que você se importa com ela e que existem pessoas que gostam dela.

#5 Proteja

Se sentir que a pessoa está em perigo, não deixe ela sozinha principalmente se parecer que ela já tem um plano concreto e tomou a decisão de colocar em curso. Retire todas as possibilidades que a pessoa possa usar para se machucar. Olhe para o ambiente dela e pense “se eu fosse me matar, poderia usar o que deste ambiente?” e remova tudo que possa ser letal: objetos cortantes, armas de fogo, cordas, pesticidas, medicamentos e etc.

#6 Incentive a pedir ajuda

Incentive a pessoa a buscar um acompanhamento especializado: psiquiatra, psicólogo, médico, hospital e etc. Ajude-a marcar uma consulta, procure um profissional com ela, quando estiver perto da data agendada mande uma mensagem lembrando – se possível vá com ela – ou depois pergunte como foi. Aproveite para perguntar também como você pode ajudá-la. Se for necessário, chame uma ambulância ou acione o SAMU. Deixe todos esses contatos acessíveis para facilitar em caso de emergência (aqui embaixo tem uma imagem, salva aí e compartilha!). Converse também no sentido de mostrar que antes de recorrer a uma opção irreversível, a pessoa pode sedar pelo menos uma oportunidade de experimentar uma solução diferente.

 

 

#7 Cuide você

Como cuidar de alguém se você não estiver em boas condições ? Faça o que estiver no seu alcance. As dicas dadas aqui demandam um bom grau de confiança e intimidade para ter sucesso. Muitas vezes os sinais não são facilmente detectáveis e ainda que tivesse reconhecido, você nem sempre terá garantias de que vai conseguir evitar. Não se culpe, nem carregue uma responsabilidade que não é sua. Em último caso, e na pior das circunstâncias, a decisão é sempre da pessoa e isso é algo muito difícil de assimilar. Sentir às vezes que nada pode ser feito pode ser um baque e tanto! A responsabilidade pelo que aconteceu não estava nas suas mãos.

*  * *

Aqui no blog temos uma série de três posts sobre esse tema. Para ler, é só clicar!

Mitos e Verdade sobre o Suicídio

O suicídio e seus Sinais: como identificar?

Suicídio: como posso prevenir, como devo agir? 

* * *

Se você conhece alguém  que tem dado sinais,

se informe, peça ajuda ou oriente as pessoas mais próximas.

Viver é a melhor opção!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *